Publicado em:

JAM de Robótica encanta estudantes e professores da RME

Durante oito horas, as turmas tiveram contato com os kits de robótica e aprenderam a programar seus protótipos criativos

robotica_jam_2017_740_x_430.jpg


Entre os dias 28 e 29 de novembro, cerca de 700 estudantes de escolas municipais participaram da JAM de Robótica promovida pelo Núcleo de Tecnologias de Aprendizagem da Secretaria Municipal de Educação (SME) de São Paulo. Durante oito horas, as turmas tiveram contato com os kits de robótica adquiridos pela SME e aprenderam a programar e movimentar seus protótipos criativos.

Foi a primeira vez que 97 escolas tiveram a experiência de construir robôs compostos por partes mecânicas motorizadas e utilizar a linguagem de programação. Para realizar as atividades, os alunos foram divididos em grupos com cinco estudantes e pelo menos um professor.

Para o Professor Jones Barboza Lima, da Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Professora Iracema Marques da Silveira, da Diretoria Regional de Educação (DRE) Campo Limpo, que receberá em breve um kit de robótica em sua unidade, a oportunidade de ter acesso a esse tipo de recurso educacional tira as crianças do seu cotidiano. “Elas passam pela experiência de saber o que é a robótica e percebem que é uma coisa simples, mas que tem algumas complexidades para chegar aos resultados. Há o momento de planejamento e nele os estudantes percebem que é necessário adequar o projeto para conseguir resultados e contornar os problemas para atingir os objetivos”, observa Jones.

Guilherme Kauã Batista da Silva tem 10 anos e é aluno do Professor Jones no 5º ano. Ele diz que quando soube do desafio de robótica pediu para participar. Ele se considera um grande interessado no assunto. O garoto comentou que faz pesquisas na internet sobre o assunto e que gosta de conversar com amigos e com o professor sobre programação. “Eu já tentei construir algumas coisas, mas nunca neste nível que estamos fazendo aqui. Estou adorando participar”, diz o estudante. A partir da sugestão de Guilherme, seu grupo construiu e programou um guindaste.

Matias Ferreira dos Santos Borges, de 12 anos e estudante da EMEF Dr. José Kauffman, disse que se considera um inventor e que seu sonho era fazer um curso de robótica. “Eu adoro robótica, mas não tinha como fazer um robô assim, de verdade. Eu faço de papel, madeira e papelão”, disse, contente, o garoto.

Após o término da montagem das peças, os grupos participaram de uma oficina de programação com a equipe Attos Educacional, empresa que produz os kits de robótica adquiridos pela Secretaria Municipal de Educação, e colocaram os protótipos em movimento.


Confira a galeria de imagens.