Portal da Secretaria Municipal de Educação

Publicado em:

Primeiro currículo da rede municipal de São Paulo terá aulas de programação

Rede municipal paulista é a primeira do país a se alinhar à Base Nacional Comum Curricular

Primeiro_Curriculo_aulas_programacao_740_x_430.jpg

A Secretaria Municipal de Educação lança hoje (15/12), pela primeira vez em sua história, um currículo para as escolas municipais, feito sob medida e de forma participativa. São Paulo será a primeira cidade do Brasil a alinhar o currículo à Base Nacional Comum Curricular já no próximo ano letivo para todo o Ensino Fundamental. Será ainda a primeira rede municipal a contar com aulas de programação e letramento digital no currículo desde o 1º ano.

O documento lançado nesta sexta vai além dos conteúdos de todas as disciplinas e áreas do saber e traça objetivos de aprendizagem específicos e claros, alinhados com as habilidades. Também são relacionados aos conteúdos, de forma inédita e pioneira, os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Unesco. “São Paulo precisa de um documento que aponte aonde queremos chegar, que aluno queremos formar. É importante que a gente prepare cidadãos que possam intervir e fortalecer a sociedade. Pessoas solidárias, éticas e responsáveis”, explica o secretário da Educação do município, Alexandre Schneider.

Para isso, foram montadas diversas frentes de trabalho, envolvendo especialistas, profissionais da rede e estudantes de todas as regiões da cidade. E, pela primeira vez na história da rede, alunos foram ouvidos em uma pesquisa online sobre o tema. O levantamento, realizado pela Secretaria Municipal de Educação, teve a participação de 43.655 estudantes entre 8 e 18 anos, respondendo a questões de múltipla escolha. O objetivo foi traçar o perfil do aluno que a rede quer formar e, a partir daí, entender quais as formas de melhor comunicar esses conteúdos aos estudantes, bem como elaborar materiais adequados de orientação para os professores.

“Nosso esforço maior é fazer um currículo com a participação de todos. O interesse dos alunos no uso de tecnologia, por exemplo, está traduzido no Eixo Digital do currículo, algo inédito inclusive na Base Nacional”, explica Schneider.

O Currículo de Tecnologias traz aulas de programação e letramento digital a partir do 1º ano do Ensino Fundamental, englobando temas como ética nas redes e cultura maker, ou ‘mão na massa’. O currículo chega às escolas acompanhado de orientações didáticas e materiais de apoio para educadores e estudantes. Também será oferecido o programa de formação aos professores da rede municipal, alinhados aos novos documentos, a partir de janeiro.

Participação de professores da rede e especialistas de Educação

Desde março, Grupos de Trabalho formados por cerca de 200 professores e especialistas se reuniram em mais de 100 encontros para elaboração dos conteúdos por área de conhecimento. A atualização do currículo escolar também foi tema de discussão em mais de 4,7 mil grupos com um total de 16 mil professores nas escolas, que também responderam em grupo uma pesquisa online. Ao final, foram contabilizadas mais de 9 mil sugestões à versão final do currículo.

Todo material produzido passou por leitura crítica de especialistas dentro e fora da rede. Após esta etapa, os professores das escolas municipais também puderam participar da discussão sobre os conteúdos relativos à sua área de atuação, apontando inclusive sugestões pelo sistema digital da rede municipal e em grupos nas escolas.

Habilidades socioemocionais

O novo currículo contempla, além da parte de conteúdo, as habilidades conhecidas como socioemocionais, que incluem criatividade, empatia, autonomia, pensamento crítico e resolução de problemas. Definidas como Saberes, são nove as competências que serão trabalhadas em nas diversas áreas de conhecimento. Por exemplo, ao descrever o saber "empatia e colaboração", o documento orienta a "trabalhar em grupo, criar, pactuar e respeitar princípios de convivência, solucionar conflitos, desenvolver a tolerância à frustração e promover a cultura da paz".

Inclusão dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Unesco

A partir de 2018, as escolas da rede municipal de São Paulo contarão com o tema desenvolvimento sustentável no currículo nas diversas áreas do conhecimento, em todos os anos de Ensino Fundamental. No próprio currículo, os objetivos de aprendizagem serão acompanhados dos respectivos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Unesco.

Os Objetivos para o Desenvolvimento Sustentável (ODS) são um conjunto de 17 metas assumidas por 193 estados-membros da Organização das Nações Unidas (ONU) a serem cumpridas até 2030. “É um compromisso que o Brasil assumiu e é um bom guia para esse processo de formação”, explica o secretário.

Novos Laboratório de Educação Digital

A Secretaria vai implantar em todas as EMEFs os Laboratórios de Educação Digital (LEDs), orientados para o trabalho colaborativo, incluindo Robótica, Linguagem de Programação e Cultura Maker, pensados para o novo currículo de tecnologia. O primeiro LED foi inaugurado em novembro no CEU Pêra Marmelo. A partir do piloto, será desenvolvido projeto para levar aos LEDs de todas as escolas de Ensino Fundamental. O currículo chega à rede com material de apoio para as aulas e formação dos professores, inclusive dos cerca de 800 professores orientadores de informática educativa (POIEs), que atuam nas escolas municipais.

Cerimônia de lançamento  do Currículo

A abertura do evento de lançamento do Currículo da Cidade de São Paulo, realizada no Auditório Ibirapuera, teve a apresentação cultural da banda Musicando, da EMEF Professor Mario Schönberg, da Diretoria Regional de Educação Santo Amaro. Estudantes e professores tocaram e interpretaram músicas do cantor Tim Maia.

Como forma de agradecimento aos mais de 16 mil educadores que contribuíram na construção coletiva do Currículo durante os últimos nove meses, foram convidados professores que integraram os grupos de trabalho para receberem simbolicamente um exemplar do material impresso. Para representar o grupo de estudantes do Ensino Fundamental, Kauã Cardoso, da EMEF Paulo Carneiro, também recebeu o material.

Acesse a base curricular da cidade de São Paulo:

Arte

Ciências Naturais

Educação Física

Geografia

História

Língua Inglesa

Língua Portuguesa

Matemática

Tecnologias para Aprendizagem