Portal da Secretaria Municipal de Educação

Publicado em:

Robótica na Educação

Alunos da Rede desenvolvem projetos de Robótica nas Unidades Educacionais

robotica_740_x_430.jpg

As tecnologias digitais ou convencionais, integradas ao processo de Informação e Comunicação, de forma contextualizada na vida e experiência dos alunos, têm sido a base do trabalho nos Laboratórios de Informática Educativa da Rede Municipal de Ensino de São Paulo (RME).

A RME sempre buscou atuar na implantação das TICs (Tecnologias de Informação e Comunicação) em seus trabalhos, passando, a partir da década de 80, pela Linguagem Logo e Megalogo e evoluindo com o passar do tempo para o incentivo ao desenvolvimento das inteligências múltiplas usando inúmeras formas, como a linguagem de programação e a robótica educacional, através do Projeto “A Cidade que a gente quer”, desenvolvido em parceria com o Laboratório de Sistemas Integráveis Tecnológico – LSI-TEC, ligado à Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, em duas etapas: 2004 e 2014.

A Robótica com fins educacionais tem se destacado como uma poderosa ferramenta para a construção de conhecimentos e a articulação das tecnologias ao currículo com características interdisciplinares. Promove o desenvolvimento cognitivo dos educandos, favorecendo oportunidades de autoria e o protagonismo – bem como a permanência do educando na escola. Com a robótica, os alunos realizam experimentos e criam protótipos funcionais e para pesquisas experimentais. Esses robôs ou protótipos são controlados pelos próprios alunos por meio da programação de instruções em computadores e, dessa forma, além de construí-los, os alunos devem programá-los, adotando como princípio a aprendizagem centrada em problemas, baseada em projetos e focada na investigação com processos compartilhados em espaços colaborativos.

O foco do uso pedagógico e educacional da robótica na Secretaria Municipal de Educação (SME) vai além de apenas programar robôs, oportunizando aos educandos o desenvolvimento de habilidades ligadas à lógica, noção espacial, pensamento matemático, trabalho em grupo, organização e planejamento de projetos, conhecimento tecnológico e projetos interdisciplinares, criatividade e autonomia, além do protagonismo social.

Atentos ao potencial da robótica no processo de ensino e aprendizagem, o Núcleo de Informática Educativa, alicerçado nas premissas do Programa Mais Educação São Paulo, vêm desenvolvendo ações para que essa prática se torne realidade na RME.