Portal da Secretaria Municipal de Educação

Publicado em:

SME promove seminário em celebração ao mês da Consciência Negra

Evento integra mostra cultural Novembro Negro

SME_seminario_mes_negra_740_x_430.jpg


“O potencial da obra de Lima Barreto” foi o tema do IV Seminário Novembro Negro 2017. A atividade, organizada pela Divisão de Educação Étnico-Racial da Secretaria Municipal de Educação (SME), ocorreu no último dia 28 de novembro, no auditório da Universidade Nove de Julho (Uninove), campus Barra Funda.


A iniciativa teve o objetivo de promover uma reflexão sobre a literatura negra brasileira em diversas vertentes, a partir da obra de Lima Barreto e Luiz Gama. “Durante o mês de novembro, as Diretorias Regionais de Educação desenvolveram atividades de leitura, oficinas e apresentações culturais tendo por base a literatura de Lima Barreto e de seus contemporâneos”, explicou Vera Benedito, diretora no Núcleo de Educação Étnico-Racial, salientando a importância dos diversos aspectos culturais, sociais, políticos e culturais que o mundo da leitura pode oferecer aos estudantes da Rede Municipal de Ensino.


Também estiveram presentes, no evento, a Coordenadora da Coordenadoria Pedagógica (COPED) da SME, Leila Oliva, e o diretor do Núcleo Técnico de Currículo (NTC), Wagner Palanch.


Os participantes assistiram às palestras “Poéticas nos escritos de Luiz Gama: Paralelos com a Literatura de Resistência de Lima Barreto”, com Ligia Fonseca Ferreira, “A importância de ler e ensinar a obra de Lima Barreto”, com Luis Cuti Silva, no período da manhã, e “Benjamim, o Palhaço: a arte de viver em tempos difíceis”, com Heloísa Pires Lima e “Crianças precisam de Espelhos”, com Oswaldo Faustino, à tarde. Ao final de cada período, os participantes puderam fazer perguntas aos convidados.


Na parte cultural, houve apresentação da Academia Estudantil de Letras (AEL) Lima Barreto, da Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Brigadeiro Correia de Melo, DRE Itaquera e do espetáculo do grupo Agô – Performances Negras.


Sobre o homenageado – De origem humilde, Lima Barreto nasceu no dia 13 de maio, em 1881, no Rio de Janeiro, sete anos antes da Abolição da Escravatura, e morreu na mesma cidade em 1º de novembro de 1922, meses após a realização, em São Paulo, da Semana de Arte Moderna, que revolucionou as artes em geral. Viveu entre dois períodos problemáticos da nossa história: por um lado, cresceu sob os vestígios da indignidade humana marcada pela escravidão compulsória; e, por outro lado, despediu-se do mundo em um contexto de efervescência social, econômica, política e cultural.


Clique aqui para acessar a galeria de imagens do evento.