Portal da Secretaria Municipal de Educação

Professores Orientadores de Sala de Leitura - POSLs

Quem pode ser Professor Orientador de Sala de Leitura - POSL?

Todos os professores da Rede Municipal de Ensino de São Paulo podem se candidatar a função de Professor Orientador de Sala de Leitura, desde que estejam em Jornada Básica do Docente – JBD ou Jornada Especial de Formação - JEIF. Mas, essa designação só ocorre mediante a apresentação de um plano de trabalho que contemple as orientações da Portaria em vigência, submetido à aprovação da comunidade escolar e referendo do Conselho Escolar por meio de eleições de periodicidade anual.

A formação continuada do Professor Orientador de Sala de Leitura

O professor, ao ser designado como Professor Orientador de Sala de Leitura - POSL, participa da formação inicial oferecida pela Secretaria Municipal de Educação e de um estágio em uma unidade escolar com 20 horas de duração, sob orientação do responsável pela Programa na DIPED/DRE. O estágio oportuniza o conhecimento e a interlocução com um ou mais POSLs da RME/SP.

A formação continuada oferecida a todos os POSLs tem periodicidade mensal, é organizada pelo DIPED das treze Diretorias Regionais de Educação – DREs integrantes da Secretaria Municipal de Educação e envolve momentos coletivos organizados pela Coordenadoria Pedagógica - Núcleo Técnico de Currículo – Sala e Espaço de Leitura – COPED- NTC- SAEL em formatos de Seminários sobre a leitura, a formação de leitores, encontros com escritores e momentos privilegiados para a troca de práticas de mediação de leitura.

Cabe destacar as ações do Leituraço! que promove a abordagem e a mediação das literaturas de matrizes africana, afro-brasileira, indígena, imigrante e a chamada literatura periférica.

Atribuições do Professor Orientador de Sala de Leitura

O Professor Orientador da Sala de Leitura (POSL) atua essencialmente como mediador de leitura, promovendo a cultura da leitura e dinamizando o espaço e o acervo nas aulas semanais e nos projetos desenvolvidos no contraturno dos alunos, conforme indicado nas suas atribuições, previstas na Portaria vigente:

I - trabalhar a literatura como eixo articulador do seu trabalho em diálogo com outras manifestações artísticas;

II - desencadear ações estratégicas de leitura nos diferentes espaços e/ou equipamentos culturais do entorno, como: os Centros de Educação Unificados - CEUs, parques, bibliotecas, centros culturais, casas de cultura, coletivos independentes produtores de cultura, a fim de, propiciar as possíveis leituras do território e da cidade.

III - participar da elaboração do projeto político-pedagógico da unidade Educacional e da construção do currículo numa perspectiva integradora;

IV - articular, em conjunto com o Professor Orientador de Informática Educativa (POIE), do planejamento e desenvolvimento do trabalho na área de integração, envolvendo os demais professores da unidade;

V - socializar, junto aos seus pares, nos horários coletivos, as propostas da formação continuada oferecidas pelas equipes das Diretorias Regionais de Educação - DREs e da Coordenadoria Pedagógica - COPED/SME.

VI - assegurar a organização necessária ao funcionamento das salas de leitura de modo a favorecer a construção criativa do espaço, no sentido de adequar as diferentes atividades a serem desenvolvidas;

VII - conhecer, divulgar e disponibilizar o acervo de modo a favorecer a bibliodiversidade;

VIII - elaborar horário de atendimento aos educandos, em conjunto com a Equipe Gestora, de modo a favorecer e otimizar o acesso aos livros para toda a comunidade escolar.

Para saber mais consulte a Portaria nº 7.655, de 18 de dezembro de 2015.